fazer login

Bullying: como ajudar alguém que sofre com isso no dia a dia

Apelidos maldosos, agressões em forma de brincadeira, isolamento, pressão...

Publicado terça, 30 de março de 2021
[Capa Bullying: como ajudar alguém que sofre com isso no dia a dia]

Apelidos maldosos, agressões em forma de brincadeira, isolamento, pressão psicológica e humilhação. Descrevendo o bullying desta forma, é difícil entender que um dia ele foi considerado apenas uma brincadeira entre crianças e adolescentes. Mais difícil ainda é entender que até hoje, a sociedade encontra dificuldades em saber como ajudar alguém que sofre bullying.

Segundo pesquisa realizada pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, em 2019, 29% de adolescentes relatam ter sofrido bullying na escola, e 23% relatam ter sofrido alguma forma de violência.

 Com dificuldade de denunciar seus agressores, as vítimas contam, por muitas vezes, somente com a ajuda de seus colegas de escola e de seus pais. Por isso, é importante saber como lidar ao se deparar com uma pessoa vítima de bullying. Siga a leitura para entender o que fazer em uma situação dessas:

4 dicas de como ajudar alguém que sofre de bullying

1. Acolha a vítima

Bullying ainda é um tabu na sociedade brasileira. A vítima de bullying é retratada, por muitas vezes, como uma pessoa sensível demais, alguém que causa desordem ao reclamar, e até acaba por sofrer mais bullying quando denuncia o agressor. Caso alguém relate sofrer bullying, o primeiro passo é acolher a vítima, escutá-la e oferecer disponibilidade para ajudá-la no que ela precisar. Evite usar palavras de repreendimento, questionar por que ela não denunciou antes ou incentivá-la a buscar vingança.

2. Incentive tratamento psicológico

O bullying é uma agressão psicológica e pode causar sequelas profundas na vida da vítima. Neste artigo do blog Viver Sem Drogas, é possível perceber a correlação entre crianças que sofreram bullying na infância e o uso de drogas quando adulto, como forma de tentar cooperar com o que aconteceu no passado, ou como forma de tentar se inserir em um grupo social considerado mais ‘descolado’. Como tratamento psicológico parte da iniciativa do paciente, forçar a vítima a se tratar não é uma solução, mas falar abertamente sobre tratamento, incentivar e não agir como se fosse uma fraqueza são formas de deixar o indivíduo à vontade para experimentar cuidar de sua saúde mental.

3. Se possível, fale com as autoridades

A agressão acontece geralmente no âmbito escolar, quando crianças sofrem mudanças comportamentais devido à idade, e muitas vezes são escrutinizadas por serem diferentes. Reportar aos pais da vítima e do agressor é importante, assim como para professores e diretores do colégio. Caso não surta efeito, é possível reportar para órgãos superiores como conselho tutelar, administradores da escola e, dependendo da gravidade, até para a polícia. Caso a situação aconteça na internet, é possível denunciar como cyberbullying, e se estiver acontecendo em ambiente de trabalho, mesmo após adulto, é possível abrir uma queixa no RH ou denunciar por assédio moral e psicológico. Ao contrário do que se acredita, denunciar bullying é importante para que a vítima internalize que ela não é culpada do que está acontecendo.

4. Ajude-a a se afastar dos agressores

Bullying: como ajudar alguém que sofre com isso no dia a dia

Se presenciar uma cena de bullying, busque interromper o ato, em segurança. Ofereça suporte e socorro à vítima, e se necessário, chame autoridades para interromperem a agressão no momento em que está ocorrendo. Por muitas vezes, a vítima de bullying se envergonha e hesita em denunciar, se isolando mais ainda. Nesta hora, o suporte emocional é imprescindível para que ela não internalize a culpa. Se acontecer em ambiente de trabalho, denuncie o assédio para autoridades. Caso aconteça com uma pessoa adulta que se relaciona com o agressor, ofereça suporte financeiro e estrutural para que a pessoa tenha condições de se retirar do espaço de violência.

Infelizmente, o bullying é uma prática que está longe de acabar na sociedade, mas o caminho para exterminá-lo é empoderando a vítima e normalizando punir adequadamente os agressores. Entender como ajudar alguém que sofre de bullying possibilita estender a mão para quem precisa e interromper o ciclo de violência que se criou com o agressor.

E você, tem alguma sugestão de como acabar com o bullying e ajudar quem sofre dessa agressão psicológica, e até física? Conte nos comentários!

Gostaria de aprender mais sobre Bullying matricule-se em nosso curso gratuito de Bullying

Leia também